Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Poluição atmosférica está a impedir Governo chinês de vigiar cidadãos

Mäyjo, 10.01.14

Poluição atmosférica está a impedir Governo chinês de vigiar cidadãos

 

Em Janeiro de 2013, o Governo da China instalou cerca de 20 milhões de câmaras em vários espaços públicos das cidades um pouco por todo o país. Contudo, o Executivo chinês está a ter dificuldades em vigiar os seus cidadãos, devido à intensa poluição atmosférica que existe nos principais centros urbanos. É irónico, não?

No último mês, refere o South China Morning Post, o campo de visibilidade na cidade de Harbin era inferior a três metros. Em dias com elevados níveis de poluição no ar, nenhuma das câmaras consegue captar através das densas camadas de partículas que se encontram suspensas na atmosfera.

As câmaras instaladas estavam preparadas para conseguir captar imagens através do nevoeiro ou do fumo. Mas este fenómeno de poluição atmosférico, conhecido como smog, impede que os infravermelhos das câmaras penetrem as partículas poluídas. Desta forma, o equipamento não consegue captar imagens.

Face a este problema, o Governo chinês poderia ter optado por redobrar os seus esforços, que são internacionalmente vistos como controversos, para reduzir os níveis de poluição atmosférica. Porém, o Executivo optou por contratar uma equipa de cientistas para optimizar o sistema de captação das câmaras.

“A nossa pesquisa preliminar indica que as partículas de smog são bem diferentes, em termos ópticos, das partículas de água que constituem o nevoeiro”, afirma Yang Aiping, uma das especialistas em imagem digital que integra a equipa contratada, cita o South China Morning Post. Para resolver este problema de “segurança nacional”, Aiping indica que a sua equipa vai ter de rever, ou mesmo reescrever, os algoritmos utilizados em alguns modelos matemáticos utilizados pelas câmaras para a captação de imagens.

 

in: Green Savers

Pode uma cidade acabar com os seus sem-abrigo?

Mäyjo, 10.01.14

Pode uma cidade acabar com os seus sem-abrigo?

Em Phoenix, nos Estados Unidos, existiam cerca de 222 sem-abrigo de longa duração. Mais de metade destes eram veteranos da guerra do Vietname e viviam nas ruas há mais de um ano. Em média, estas pessoas não tinham um lar há oito ano e, para além da falta de casa própria, muitos deles estavam desempregados, consumiam álcool ou drogas e tinham doenças.

 

Foi com este cenário como pano de fundo que, na última semana, o mayor da capital do estado do Arizona anunciou que todos os sem-abrigo da cidade passaram a ter uma habitação e já não habitavam nas ruas. Para conseguir tal feito, Phoenix recorreu a €1,3 milhões de fundos locais e a €4,7 milhões de fundos federais.

 

O plano desta cidade norte-americana para retirar os sem-abrigo das ruas atraiu as atenções da Casa Branca. Na noite de Natal, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama elogiou a acção e indicou que era prova de que o mesmo pode ser feito a uma escala nacional até 2015, refere o Atlantic Cities.

 

Outras cidades norte-americanas, como Salt Lake City e Philadelphia, querem seguir o exemplo de Phoenix e retirar os sem-abrigo das ruas. Estima-se que nos Estados Unidos existam mais de 630 mil pessoas que vivem nas ruas.

 

Em Portugal, têm-se desenvolvido várias iniciativas de inclusão da comunidade sem-abrigo – ou tentativas –, ainda que nenhuma tenha ido tão longe como a de Phoenix. Ainda é muito cedo, porém, para perceber se a cidade norte-americana será bem sucedida na sua intenção de inclusão social.

 

Foto:  jamesfischer / Creative Commons